Arquivo

Archive for fevereiro \27\UTC 2013

Chuva Amiga

27 de fevereiro de 2013 2 comentários

chuva na janela

 

Um dia ensolarado com o céu azul e nenhuma nuvem no final de semana, quem não gosta ? Bem eu também já gostei mais disso, (mesmo sendo branco como uma folha de sulfite) hoje as vezes comemoro com um dia de chuva se estou em casa.

A chuva acaba me livrando da convenção social de que dia de sol tem que que se aproveitar fora de casa,  ainda mais hoje que estou sem companhia vejo a chuva como minha companheira, pois quando chove sei que posso ficar aqui em casa no computador jogando um dia inteiro se tiver vontade, assistindo um filme ou me entretendo com alguma outra coisa que me agrade sem que meu inconsciente fique me cobrando para sair.

Parece um sentimento mesquinho de desejar o que a maioria não quer só para saciar sua vontade, mas eu acredito que é realmente, pois na impossibilidade de compartilhar meus momento com alguém sempre, eu prefiro ficar aqui e de uma forma que sei que outros estarão “compartilhando” de momento de só olhar a rua pela janela e pensar no que poderia fazer se não estivesse chovendo.

Por isso a chuva se transforma em na amiga dos solitários e/ou dos depressivos.

Talvez a chuva na janela lembre das lagrimas que já correram no rosto e não correm mais pelo conformismo da situação, mas que provocam o mesmo sentimento de alivio depois de um choro sentido .

 

 

 

Anúncios

O gosto amargo do passado

27 de fevereiro de 2013 3 comentários

Momento de arrumar as papeladas que se acumulam no dia-a-dia.

tarefa corriqueira que faço pelo menos umas três vezes no ano, hoje foi o dia de dar uma limpada.

Uma tarefa que era quase uma terapia para mim, colocar heavy metal(meu gosto musica preferencial) no talo, jogar tudo no chão, sentar no chão e começar…

Algo simples mas que desta vez tem um gosto amargo , por ter que rever coisas de quem um dia amei e me deixou, essas lembranças que já foram motivos de um suspiro alegre é notálgico agora da lugar a um pensamento de vazio.

Depois de todo esse tempo ainda dói ver as coisas, pois o que guardo são lembranças normalmente de coisas boas que fizemos e que agora pertence apenas ao passado de cada um e nada mais.

Mexer com coisas antigas e ser surpreendido por coisas que eu não queria encontrar é como uma unha encravada (se é que alguém além de mim já sofreu com isso) ela não dói, você até esquece por uns momentos que a tem, mas quando toca em algum lugar, sente uma dor filha da p…

Sei que algumas coisas eu tenho que me desfazer, outras ainda guardar, mas o que infelizmente percebi é que sse não quero abrir mão das coisas boas do passado , não poderei abrir mão de muitas coisas que fizemos juntos.

Algum lugar que eu pertença

12 de fevereiro de 2013 Deixe um comentário

É estranho sentir as vezes que você não pertence ah lugares que fazem parte da sua vida. Sentir que aquilo que parecia tao comum agora parece tao incompatível.
Estranho eh sentir isso em uma casa que eu morei por 18 anos, que vivi minha infância.
Tenho saudade da minha avó, mas não tenho paciência para ficar mais la muito tempo, eu a amo e ela também me ama e adora quando vou lá mas, me sinto deslocado… com vontade de sair logo de la e ficar na minha casa.

Hoje eh difícil encontrar um local que eu me encontre, pois ainda sinto muita dor em frequentar lugares cheios de lembranças de quem me deixou…

Por isso procurei coisas novas, grupos novos, para tentar amenizar essa minha dor.

Mas não sou tao sociável, então a dificuldade em me relacionar com novas pessoas faz com que minha inclusão nestes grupos também seja difícil.

Continuo nessa busca por um lugar que eu pertença…

Essa musica diz muito sobre o que eu sinto nesse momento.

Algum Lugar Ao Qual Eu Pertença

(Quando isto começou)
Eu não tinha nada a dizer
E eu me perdi no nada dentro de mim
(Eu estava confuso)
E eu deixo tudo isso sair para descobrir
Que não sou a única pessoa com essas coisas em mente
(Dentro de mim)
Mas todo o vazio que as palavras revelaram
É a única coisa real que me resta para sentir
(Nada a perder)
Simplesmente preso, vazio e sozinho
E a culpa é toda minha, e a culpa é toda minha
Eu quero me curar, eu quero sentir
O que eu achei que nunca fosse real
Eu quero deixar ir essa dor que segurei por tanto tempo
(Apagar toda a dor até que ela se acabe)
Eu quero me curar, eu quero sentir
Como se estivesse perto de algo real
Eu quero achar algo que eu sempre quis
Algum lugar ao qual eu pertença
E eu não tinha nada a dizer
Eu não acredito que eu não cai de cara no chão
(Eu estava confuso)
Procurando em todo lugar apenar pra descobrir
Que isso não está do jeito que eu imaginei na minha mente
(Então o que eu sou?)
O que eu tenho além de negatividade?
Porque não posso justificar a forma que todo mundo está olhando para mim
(Nada a perder)
Nada a ganhar, vazio e sozinho
E a culpa é toda minha, e a culpa é toda minha
Eu quero me curar, eu quero sentir
O que eu achei que nunca fosse real
Eu quero deixar ir essa dor que segurei por tanto tempo
(Apagar toda a dor até que ela se acabe)
Eu quero me curar, eu quero sentir
Como se estivesse perto de algo real
Eu quero achar algo que eu sempre quis
Algum lugar ao qual eu pertença
Eu nunca me conhecerei até que eu faça isto sozinho
E eu nunca vou sentir mais nada
Até que minhas feridas estejam curadas
Eu nunca serei nada, até que eu me separe de mim
Eu me separarei, eu vou me encontrar hoje
Eu quero me curar, eu quero sentir
O que eu achei que nunca fosse real
Eu quero deixar ir essa dor que segurei por tanto tempo
(Apagar toda a dor até que ela se acabe)
Eu quero me curar, eu quero sentir
Como se estivesse perto de algo real
Eu quero achar algo que eu sempre quis
Algum lugar ao qual eu pertença
Eu quero me curar, eu quero sentir
Como se eu estivesse em um lugar ao qual eu pertença
Eu quero me curar, quero sentir
Como se eu estivesse em um lugar ao qual eu pertença
Algum lugar ao qual eu pertença.

Fonte: Letras.mus.br

Por ai…

8 de fevereiro de 2013 Deixe um comentário

por ai

Estive meio distante, estive por ai!

Passeando, gastando minhas energias com coisas e pessoas que realmente me fazem bem.

Aos poucos vou colocando a casa em ordem, o sorriso sai com mais facilidade e tristeza vai diminuindo.

O que bate as vezes é a falta de uma companheira , de alguém para compartilhar dos momentos bons e ruins, mas sei que tudo tem seu tempo e seja quem for, será alguém que Deus quis que cruzasse o meu caminho.

Carnaval estarei na minha cidade SP, longe de carnaval , pois o que gosto de ouvir esta vem longe disso, mas perto da minha família e da minha bike, que tem sido minha boa companheira de habitos mais saudáveis e de novas amizades.

Escrever aqui é algo de momento, as ideias veem e eu as escrevo , as vezes estou em locais que as ideias veem mas não tenho como anota-las, entao por isso estou escrevendo menos, mas tudo tem seu tempo.

Para que gosta de folia, bom carnaval, para quem não gosta mas gosta de um feriadinho  bom feriado !

abraços!