Arquivo

Archive for julho \26\UTC 2013

O Inverno

26 de julho de 2013 2 comentários

O Inverno chegou, e aqui em São Paulo chegou para valer.

O inverno, 

Estação que a temperatura esfria e faz com que pensemos mais antes de sair de casa.

Estação que muda a rotina de quem normalmente tem uma vida mais agitada.

Que faz com que as pessoas fiquem mais elegantes, ou mais cafonas.

A temperatura que já é baixa tem ajuda do vento, vento que bate em nosso rosto, queimando com o frio ou como a dor de um tapa, um tapa da solidão.

Pois o inverno é mais romântico, os casais saem mais para jantar, ficam mais abraçadinhos e por mais frio que esteja , no final sempre haverá sua companheira do seu lado ao se deitar.

O inverno pede um abraço, um filminho no sofá a dois comento uma pipoca ou o carinho de fazer algo para esquentar que você ama.

Mas quando se esta só, nada disso tem gosto, e o que te consola é o zumbido do vento na janela em noites frias e o som da casa vazia.

O frio entristece a casa vazia e o coração de quem à habita.

E o que resta é apenas esperar, espera por uma nova estação, que florirá os campos e por que não ao coração? de alguém que viveu o inverno abraçado na solidão

 

 

Castelo de Cartas

15 de julho de 2013 Deixe um comentário

castelo de cartas pb

 

O Castelo de cartas, algo muito difícil de se construir e muito fácil de se destruir, poucos tem a habilidade de mante-lo em pé por muito tempo ou se quer levanta-los.

Bem, essa foi uma metáfora que pensei no caminho do trabalho para casa em relação a minha estabilidade emocional, é como a de um castelo de cartas.

Vinha a tempos reconstruindo minha saúde emocional, pela ajuda terapêutica, companhia de amigos, remédios, amor próprio, entre outras coisas. Isso me dava confiança, fazia que eu me sentisse bem a cada dia e confiante para por correr risco de encontrar outra pessoa, mas, para quem leva tudo tão intensamente como eu, uma resposta ruim , ou no caso o silencio/indiferença, faz com que tudo aquilo que construí desabasse em uma fração de segundos, parecendo que toda aquela auto estima que tinha construído caísse lá de cima dele e se estatele no chão junto com o castelo.

Não via a hora de acabar o dia para chegar em casa pois mais nada rendia, queria só chegar logo e ficar aqui, sozinho comigo mesmo e recolher todas estas cartas e recomeçar.

Posso estar exagerando, posso rir de tudo isso mais pra frente, mas nesse momento não parece engraçado, espero que eu esteja enganado.

 

 

Simples assim

13 de julho de 2013 1 comentário

Dentro do trem de curitiba a morretes, vejo pessoas diferentes, de regioes e estados diferentes…
Todos apreciando a simplicicadade a beleza da mata atlantica.
Simples assim, sou mais um olhando na janela e tambem sendo mais um a contemplar a paisagem, pensando em silencio no que as proximas semanas me reservarao.
Para a cabeça de uma pessoas anciosa como eu, a historia pode tomar inumeros rumos, mas aqui viajando. O que resta eh tentar relevar e pensar apenas nesse final de semana.

Tão simples e complicado como eu

7 de julho de 2013 Deixe um comentário

Essa musica descreve realmente meu momento da vida.

Não tenho muito a comentar…

Mal Interpretado (Misunderstood)

Esperando

Na calma da desolação
Querendo sair
Desse círculo de confusão

Dormindo
Nas profundezas do isolamento
Tentando acordar
Desse sonho acordado de ilusão

Como eu posso me sentir abandonado mesmo quando o mundo me envolve?
Como eu posso morder a mão que alimenta os estranhos ao meu redor?
Como eu posso conhecer tantos sem nunca realmente conhecer alguém?

Se eu pareço superhumano
Eu tenho sido
mal interpretado

Isso desafia a essência da minha alma
E me deixa num estado de desconexão
Ao navegar o labirinto do auto-controle

Imitando um leão sendo guiado a uma jaula
Eu passo de ladrão a pedinte
De um deus a Deus me salve

Como eu posso me sentir abandonado mesmo quando o mundo me envolve?
Como eu posso morder a mão que alimenta os estranhos ao meu redor?
Como eu posso conhecer tantos sem nunca realmente conhecer alguém?

Se eu pareço superhumano
eu tenho sido
Mal interpretado
Mal intepretado

Imitando um leão sendo guiado a uma jaula
Eu passo de surreal a reclusão
De amor a desdém
De crença a desilusão
De ladrão a pedinte
De um deus a Deus me salve

Como eu posso me sentir abandonado mesmo quando o mundo me envolve?
Como eu posso morder a mão que alimenta os estranhos ao meu redor?
Como eu posso conhecer tantos sem nunca realmente conhecer alguém?

Se eu pareço superhumano
Eu tenho sido
Mal interpretado
Mal interpretado

 

Viajando na imaginação

4 de julho de 2013 2 comentários

Como é estranho e gostoso você olhar alguém e em 30 segundos criar uma historia na sua cabeça com começo, meio e finais sempre felizes, rsrs
É estranho sentir isso principalmente por alguém que não conheço pessoalmente ainda, mas só pouco que vejo me agrada, o pouco que ouço me agrada e principalmente o pouco que conversamos me agrada.

Imaginar não paga,  não cobra, não ofende. E ainda por muitas vezes nos motiva.

Motiva a continuar no caminho que transforme essa imaginação em verdade e que tudo que você idealizou um dia possa se tornar verdade.

Mas agora respiro fundo dou aquela chacoalhada na cabeça e volto para a realidade, que ainda é o nada, mas ao mesmo tempo é tudo, pois tudo que tenho agora é o hoje o presente.